24 de janeiro de 2011

Balanço Eleitoral

Decorridas as eleições presidenciais é tempo de fazer um pequeno balanço das mesmas. Impera a necessidade de percebermos os resultados e com eles tirar determinadas elações.
- Cavaco Silva foi reeleito, sem necessitar de uma segunda volta. É o homem certo para o lugar certo. Foi a vitória da verdade sobre a calúnia! Após uma campanha de “5 contra 1”, em que os restantes candidatos na realidade não fizeram campanha, limitando-se a tentar denegrir a imagem do professor Cavaco Silva, os portugueses foram claros na eleição de ontem. O país precisa do conhecimento, da vasta experiência política e da inigualável ponderação do professor Cavaco Silva no cargo de Presidente da República! Vivemos tempos de crise e Cavaco Silva traduz estabilidade, bom senso e independência!
- Manuel Alegre, o Partido Socialista e o Bloco de Esquerda foram na verdade os maiores derrotados da noite. Manuel Alegre teve muito mais impacto nas eleições anteriores onde concorreu de forma independente.
- Fernando Nobre foi a par de Cavaco Silva, um dos vencedores da noite. Acima de tudo, começou a ganhar alguma notoriedade e apoio popular, quando se decidiu descolar da imagem semelhante aos outros candidatos, que ao invés de apresentarem os seus argumentos e as suas ideias para o cargo de presidente da república, optavam sempre por criticar o actual titular do cargo. Apesar de não ter sido apoiado por nenhuma organização partidária ou partido político, se se tivesse decidido mais cedo por uma campanha correcta, teria tido mais votos que o próprio Manuel Alegre.
- Francisco Lopes obteve a votação esperada. Foi um resultado em conformidade com o núcleo duro comunista no nosso país. É triste ouvir o seu discurso de derrota proclamando uma vitória rebuscada e sem sentido. Pessoalmente senti que o senhor até é inteligente e tem capacidades, mas tal como muitos outros naquele partido, têm a infelicidade de estar no partido errado onde as ideias são na sua maioria demasiado estáticas e extemporâneas.
- Defensor Moura foi um desastre. Desde o início que ninguém lhe augurava um bom resultado e as previsões confirmaram-se. Foi o expoente máximo de uma política baixa e sem respeito pelo professor Cavaco Silva. Coroou a triste campanha com o facto de nem ter felicitado o vencedor das eleições.
- Relativamente ao candidato madeirense, José Manuel Coelho, pouco há a dizer. Como é possível 4,5% do eleitorado ter votado naquele indivíduo para ocupar um cargo de tamanha importância com é o de Presidente da República?? É triste e lamentável o resultado alcançado pela personificação da sátira política em detrimento de uma política séria.
No que concerne ao meu concelho, Lousada, Cavaco Silva venceu em 24 das 25 freguesias que o compõem! Sendo a Câmara Municipal um “bastião” socialista há mais de 20 anos, vaticina-se uma mudança nas próximas eleições autárquicas. Será ousado a analogia entre as diferentes eleições mas já nas anteriores a mudança começou a surgir e atingirá a sua plenitude em 2013! Inevitavelmente terá de acontecer para bem de um concelho cada vez mais na retaguarda do Vale do Sousa.
Por fim, apraz-me realçar o elevado valor verificado da abstenção. Fica patente o desinteresse da população e o descrédito que é dado uma eleição presidencial. Como podemos deixar que os outro escolham por nós??

1 comentário:

  1. Eu votei! Cumpri o meu dever.
    Não comento partidos mas considero uma vergonha a percentagem de abstenção.
    É lamentável.

    ResponderEliminar