28 de julho de 2011

A sociedade dos nossos tempos


"A nossa sociedade está a desmoronar-se e ninguém lhe acode. Os laços sociais estão a desaparecer, substituídos por um sistema de valores em que impera a vacuidade, o poder da «competitividade» como força motriz - e não é. Há tempo para tudo, diz o Eclesiastes. Mas a verdade é que os «tempos» foram pulverizados pela urgência de não se sabe bem o quê. A frase mais comum que ouvimos é: «Não tenho tempo para»; para quê? A correria mina as relações de civismo e de civilidade; está a roer os alicerces da família; a família deixou de ser o núcleo das nossas próprias defesas; e vamos perdendo o rasto dos nossos filhos, dos nossos amigos, dos nossos camaradas, dos nossos companheiros. A azáfama nos locais de trabalho é o sinal das nossas fragilidades e dos nossos medos. Estamos com medo de tudo, inclusive de confiar em quem, ainda não há muito, seríamos capazes de confidenciar o impensável."


Baptista-Bastos in Jornal de Notícias (20/11/2009)

22 de julho de 2011

5 de julho de 2011

Sorte



Entre a sorte e a conquista tem que haver muito trabalho! Nada acontece por acaso.. A vida é feita de oportunidades. O homem que vai mais longe é quase sempre aquele que tem coragem de arriscar.. "A sorte nunca dá, ela apenas empresta." ; )